Coletânia

segunda-feira, 10 de abril de 2017

O Solitário Sonhador 3

E se, 
E se somente se ele sonhasse
Que a chuva cairia naquele dia 
E não no outro dia.
Que o sol abriria as portas em um domingo perfeito 
Ao invés de uma terça imperfeita.
Será que ele seguiria o caminho do trovador
Ao invés da sina do bajulador com sede e dor?
Será que ele encontraria em seu castelo seu amor eterno,
E não o sofrimento eterno nos golpes do próprio martelo?
Se sonhar é viver, então ele viveu.
Viveu infinitas crises de infinitas impossibilidades, Incongruências, irrealidades...
Viveu o que sonhou e o que não sonhou.
Mas não vive o que sonha e o que não sonha.
A chuva vem molhar o que o sol secou,
A estação que passa é a mesma do inverno passado, 
E ele continua sonhando...
Sonhado com infinitas possibilidades, congruências, realidades, 
Esperando viver os sonhos que sonhara todos de uma vez
De uma vez por todas.
E ele continuará sonhando
Esperando que seu sonho torne seu sonho.
Ao menos uma vez, uma última vez.

Um comentário:

  1. Depois de algum tempo sem nenhuma inspiração - e com um probleminha ocular - escrevi este. Se possível, serei mais frequente. Não sei ainda se o tema do Solitário Sonhador será um série ou algo do tipo, mas se pintar mais ideias como essa na cabeça, escreverei sem mais delongas.

    ResponderExcluir