Coletânia

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Poesia Perdida

E quando o palhaço perde a graça?
O casal de alquimistas perde a química?
O assassino serial perde a vítima?
A morte perde a vida?

Cometa sem rumo
Ligações cortadas
O concebível inconcebível
E a poesia perdida

Seria mais fácil deixar tudo pra depois
Viveria a vida como ela é
Amaria sem amor com perdão e dor
Um entre milhões de bilhões.

Mas os detalhes estão nos detalhes
O medo está no coração e de lá não sai
Os dias passam, as noites eu esqueço
E é melhor sonhar do que nunca ter sonhado

Um comentário:

  1. Mesmo sem muita inspiração escrevi de forma mais natural possível. No caso dos poetas e poetisas, encontrar a poesia perdida é o que os move também.

    ResponderExcluir